Fotografia: Paula Brandão/ Texto: Leticia Brandão

Chega aquela hora na vida de todo mundo que todos se perguntam: o que vou ser quando crescer? Qual faculdade escolher?
Eu sempre achei que este momento (de escolher o que você vai ser para o resto da sua vida!) chega muito cedo, mas temos que escolher, não tem jeito…rs
Com a Fernanda não foi diferente. Ela sempre foi apaixonada por arquitetura, mas quando terminou o colegial, sua família lhe orientou a fazer engenharia pois assim acreditavam que ela seria mais bem sucedida na vida. Dois anos de cursinho depois, entrou na USP no curso de engenharia metalúrgica. Não gostou nada nada, mas por causa da pressão, ela decidiu tentar terminar a faculdade e lá ficou por 7 anos! Sem sucesso…
Neste meio tempo sua vida deu uma reviravolta, descobriu que o Senac oferecia um curso de bacharelado em fotografia e resolveu prestar. No segundo ano da faculdade, Fernanda teve a certeza de que era isso que queria fazer para o resto de sua vida e então largou tudo para se dedicar exclusivamente à fotografia.
Há pouco mais de 6 meses ela passou por outra reviravolta em sua vida, mas desta vez uma reviravolta deliciosa, que tem nome e lindos olhos azuis, chama-se Joana!

Continuar lendo...

A ESCOLHA DA PROFISSÃO

Fernanda vem de uma família tradicional, e ter um diploma era imprescindível. Não foi fácil escolher ser fotógrafa. Ela estava no meio de um turbilhão, cursando engenharia, sendo infeliz, chegou até a enfrentar uma síndrome do pânico. Então quando descobriu que este curso lhe daria um diploma, “foi como achar água no deserto”, desabafa.
“Claro que as coisas não foram tão simples assim, afinal tive que enfrentar o preconceito da família que achava que seria pobre e não teria futuro como fotógrafa, rs…. Mas isso apenas me fortaleceu e me deu mais força ainda para provar a eles o contrário”.
E adivinhem, Fernanda começou fazendo fotos de arquitetura e decoração, trabalhando para construtoras, e fotografando casamentos também. Mais tarde, deixou de fotografar arquitetura e migrou para a fotografia de famílias e grávidas, área pela qual se apaixonou de cara.
“Hoje me dedico à fotografia de casamentos, família e grávidas. Acho apaixonante poder fazer parte da história de tantas famílias e pensar que daqui 50 anos os álbuns feitos por mim servirão para resgatar suas memórias. É um trabalho que ganha valor com o tempo, não é passageiro, é pra sempre”.
(www.fernandapetelinkar.com.br)

MATERNIDADE e FAMÍLA
“Depois que me tornei mãe, nada e ao mesmo tempo tudo mudou. Nada por que eu continuo sendo a Fernanda, fotógrafa, amiga, filha e mulher de sempre. Tento ter tempo para me dedicar a todos os setores da minha vida, por que acho que só sou completa assim, sendo um pouco de cada coisa.
Mas ao mesmo tempo tudo mudou por que quero ser a melhor mãe para a Jojo, e isso que faz com que todo resto tenha sentido. É um desafio constante querer acertar, mesmo sabendo que vou errar um monte.
A maternidade me faz querer ser melhor em tudo para que a Jojo tenha orgulho de mim. Me faz olhar para as pequenas coisas do dia a dia, como um simples olhar, um gesto ou até fazer nada do lado dessa pessoinha mais linda do mundo.
Tudo começa e termina na família. Não existe nada mais importante para mim que a felicidade e acredito que para alcançar isso é preciso muito equilíbrio, dedicação, amor, doação, compreensão, saber perdoar e pedir perdão”.

CRIAR OS FILHOS PARA O MUNDO
Com a chegada da Jojo, a rotina da Fernanda passou a girar em torno das necessidades da filha, que tem apenas 6 meses. Ela ainda é bem novinha, mas a fotógrafa já quer, dentro do possível, fazer com que ela se adapte à sua realidade e já carrega a pequena para a maioria de seus compromissos pessoais durante o dia.
À noite, ela mantém a rotina bem estabelecida e às 20:30 a Jojo já está dormindo. Depois disso Fernanda consegue se dedicar um pouco mais a ela e ao marido, jantam juntos ou assistem a um filme.
” Além disso tudo, desde que ela tem 1 mês, levo-a para dormir pelo menos 1 vez por semana na casa da minha mãe, assim podemos sair, tomar uma cerveja, ir ao cinema, jantar fora e dormir sem hora pra acordar, rs. Sempre tive certeza que compartilharia minha filha com o mundo, e não hesito em pedir ajuda. Ás vezes também a deixo na casa dos padrinhos (que moram no mesmo andar) para eu descansar ou dar uma saidinha, é saudável para mim e é uma forma de compartilhar a Jojo com as pessoas que a amam”.
Como a Fernanda mesma diz, está aprendendo muito, sempre tentando acertar e acredita que a disciplina, o equilíbrio, o amor e muita dedicação são indispensáveis para a boa criação e educação da sua filha.

CASA
A família adora ficar reunida na sala, a Jojo fica no chão com seus brinquedos, o marido assistindo TV ou jogando vídeo game entre uma brincadeira e outra, e a Fernanda fotografando tudo. Seja com o celular, polaroid, leica ou a mark III, esses são os brinquedinhos que ela usa para registrar cada momento desses.
O quarto do casal também é um espaço bem aproveitado. Fernanda adora deixar a Joana solta na cama e por lá mesmo tirar um cochilinho com ela.
O universo criativo em que vive no trabalho é refletido também na sua casa e no quartinho da Jojo. Detalhes foram carinhosamente bem pensados, como os graciosos puxadores do gaveteiro. Inclusive este foi desenhado pela própria Fernanda e encomendado a um marceneiro.
“Tento traduzir meus momentos decorando a casa, mudando os móveis de lugar, pintando uma parede ou comprando objetos em sites de garimpo como o Etsy”.

DICAS DA FERNANDA
Normalmente perguntamos aqui algumas dicas de livros, filmes, atividades e lugares para frequentar por ai. Mas a Fernanda surpreendeu, foi mais além e abriu seu coração nos dando ótimas dicas de vida.

MR – O lugar ideal para passear em família em SP?
Adoramos ir no Butantan Food Park durante a semana.
Parque Villa Lobos.
Espaço Mamusca

MR – Durante a gravidez, leu algum livro sobre o assunto, qual?
” Nenhum! O que eu mais ouvi durante a gravidez é que não importava o quanto eu achasse que estaria preparada ou programada para ser mão, eu só saberia quando acontecesse. Ouvi que a maternidade nunca poderia ser projetada ou programada e  que cada um vive de um jeito, não existem regras. Comecei a perceber e sentir tudo isso desde a gravidez, pois não passei mal, mas tive depressão e tive alterações de humor. Quando falavam que me sentiria bem, me sentia mal e vice versa, então optei por não ler nada e esperar para eu mesma escrever a minha história com a Jojo.
E assim foi. Ela não teve cólicas, os 3 primeiros meses não foram nada terríveis. Quando nasceram os dentinhos só descobrimos quando eles apareceram pois ela não teve nada, nem febre, nem diarreia, nem ficou manhosa. Sentou com 4 meses, deu sorriso social com 1, não quer saber de engatinhar e aos 6meses só quer saber de ficar em pé e andar com apoio. Então cada dia que passa tenho mais certeza que fiz a escolha certa, por que assim não crio expectativas em relação a nada, não fico ansiosa e curto cada momento dela que acontece na hora dela. E claro, para saber que está tudo dentro da normalidade, a levo regularmente na pediatra”.
E por acaso, participamos de um desses momentos de conquista da Jojo, que a Fernanda gentilmente dividiu com a gente. Aquele foi o primeiro dia que a Fernanda estava introduzindo a papinha para a Jojo.

MR – Alguma outra dica que acha bacana?
“Sim! Ficar calma e não se desesperar. Talvez seja fácil para eu falar isso, já que a Jojo é um anjo. Mas não antecipo as necessidades dela, deixo chorar se percebo que é manha. Deixo ela explorar o mundo do jeito dela, se cair, faz parte.
E a maior e melhor dica que posso dar é: não tenha receio de pedir ajuda! Ser uma super mãe não é dar conta de tudo sozinha e sim estar bem para passar momentos felizes ao lado do seu filho. deixe os outros ajudarem, peça ajuda quando estiver no seu limite e permitam que os outros amem e convivam com seu filho. Acho uma delícia saber que minha filha é tão amada por tanta gente e isso só é possível se você permitir a convivência dela com os outros, então, nada de neurose e ciúme, permita que os outros peguem, cuidem, mimem e amem seus filhos, assim você criará uma criança sociável e feliz”.

Obrigada Fernanda!

 

CRÉDITOS
foto 08
- aparador e berço de madeira desenhados e encomendados pela Fernanda a um marceneiro, de inspirações que buscou no site Pinterest.
- Luminária do teto desenvolvida pela própria Fernanda. Ela comprou o cano e os fios no site Etsy. As lâmpadas, paixão antiga da fotógrafa, foram garimpadas de viagens que fez a NY, Los Angeles e Amsterdã.
- Mix de puxadores de gaveta elaborados pela Fernanda. Vieram de lugares variados: Anthropologie, Zara Home, Collector55, e alguns que um amigo trouxe da Alemanha.
foto 09
- Estante de madeira desenvolvida pela Fernanda e encomendada para o mesmo marceneiro.
- Bonecas de pano que trouxe de sua infância direto para o quartinho da Jojo.
foto 10
- Cabide de metal Coisas da Doris
- Blusa de tricot Zara
foto 11
- Luminária Fora de Série
- Moringa, presente da Vovó, de uma loja em Itú
- Mesinha marela, Tok&Stok
foto12
- Kit Higiene: bandeja, garrafa térmica, porta cotonete e potinho de água – Coisas da Doris
- Potes de cerâmica com tampa de madeira – site australiano Down That Little Lane
foto 30
- Ilustrações da revista australiana Frankie Magazine
- Radinho amarelo, Esty
foto 31
- Máscaras de bichos, 25 de Março
- Bolsa Zara
- Aparador de madeira da sala, feito com o mesmo marceneiro
foto 32 - Cadeirinha da Jojo, Alô Bebê
foto 42 – Patins encontrados no site Esty
foto 44
- Fotografia a cima da cama, Fernanda Petelinkar
- Edredon Urban Outfitters